Maringá - Reposição conta com plantio de mais de mil mudas de árvores

domingo, 29 de abril de 2018
Resultado de imagem para plantio de arvores
Mais de mil mudas foram plantadas pela Prefeitura Municipal de Maringá.
A Prefeitura de Maringá realizou neste ano o plantio de mais de mil mudas de alecrim, ipê-branco, aldrago, pau-brasil e outras espécies no perímetro urbano do município. A ação visa repor árvores removidas por estarem condenadas, no final do ciclo de vida ou por comprometerem a segurança de pedestres, estabelecimentos residenciais e comerciais, além da rede de fiação da iluminação pública.

As mudas são oriundas do Viveiro Municipal, onde são cultivadas dezenas de espécies de árvores e folhagens. Ao alcançar 1,80 metro e contando com maior resistência, as mudas são plantadas atentando-se sempre para o não ofuscamento da iluminação das ruas, placas, semáforos e danificação de galerias pluviais.

O gerente do Viveiro Municipal, José Raimundo de Souza, destaca que além da arborização urbana, as mudas atendem fundos de vale. “Também contamos com o cultivo de citronela e de crotalária”, acrescenta. A primeira espécie é repelente natural do Aedes Aegypti, e a segunda, atrai as libélulas, predadoras do mosquito transmissor da dengue.

A reposição de árvores já obedece o Plano Municipal de Arborização Urbana, em fase de elaboração mas que já definiu melhores espécies para a Zona 1 a 10 e alguns outros bairros. O engenheiro florestal da Secretaria de Meio Ambiente, Maurício Sampaio, ressalta o ineditismo do documento que leva em consideração o inventário de espécies, história do município, inclusive dando continuidade ao planejamento inicial da arborização urbana de 1947, entre outros fatores.

A maior parte dos municípios constrói o plano de arborização para o cumprimento de uma exigência, uma burocracia. A partir de documentos aprovados de outras cidades elaboram um plano que nem sempre reflete sua realidade. Maringá terá um plano genuíno e que trará melhorias concretas para a arborização urbana do município”, explica Sampaio.

O Plano de Arborização é elaborado por secretarias municipais, representantes de outras instituições públicas, entidades representativas de classe, organizações não-governamentais e instituições de ensino superior. O prazo que findaria neste ano, foi prorrogado para março de 2019, com a anuência do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Maringá (Comdema).

A partir da publicação do decreto 336/2018, a lei 10.510/2017, o município também autorizou a contratação de empresas pelos munícipes para poda, corte e remoção de árvores do passeio público. Empresas interessadas em prestar este serviço, devem fazer credenciamento na Sema.

A poda, corte e remoção de árvores é custeada pelo munícipe e apenas pode ocorrer após vistoria e liberação de laudo técnico fornecido pela Secretaria de Serviços Públicos (Semusp). O decreto 337/2018 prevê penalidade de R$ 1 mil a R$ 10 mil para quem realiza o corte da arborização urbana sem estar credenciado. Mesmo com a possibilidade de contratação de empresa pelo interessado, a realização do serviço pela administração municipal via Ouvidoria (156) continuará.

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Copyright © 2016 todos os direitos reservados a Desenvolvido por Jonas Gonçalves.