'Você me deve um favor', diz cirurgião à mãe de paciente ao estuprá-la

sexta-feira, 31 de março de 2017
Quatro mulheres dizem ter sido vítimas de abuso sexual praticado por um dos maiores cirurgiões cardiovasculares do Reino Unido. Em um dos casos, que aconteceram entre 2001 e 2014, Mohamed Amrani, 53 anos, teria forçado a mãe de um paciente a ter relações sexuais com ele. O motivo dado pelo médico era de que "ela o devia" por ter salvado a vida do filho dela.

Segundo informação, uma das vítimas disse, em julgamento, que Mohamed nem sequer tinha tirado o avental cirúrgico após operar o filho e já tentou beijá-la à força. "Eu vou te f****", teria dito o médico, após despir a mulher na sala dele, que fica no Hospital Harefield, em Londres, e praticar o ato sexual com ela.
Após o ataque, a vítima ficou constrangida de denunciar Mohamed pelo fato de a esposa dele também ser funcionária da unidade de saúde, além de ele ter um cargo elevado no hospital. O cirurgião foi denunciado à polícia em 2015, depois de fazer mais uma vítima: uma mulher que teria apalpado em um hospital particular.
Apesar das acusações de estupro, uma de abuso por penetração, seis por atentado ao pudor e três por assédio sexual, Mohamed diz ser inocente e afirmou que as cinco mulheres inventaram suas denúncias.

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Copyright © 2016 todos os direitos reservados a Desenvolvido por Jonas Gonçalves.