Lanterneiro ainda espera pedido de desculpas de Delapria

quarta-feira, 21 de setembro de 2016
Após publicar matéria aonde trazia a história de Alexandro Ferreira, que começou a construir um salão comercial para instalar uma oficina para trabalhar com lanternagem e em cima um apartamento, aonde iria residir e que foi impedido de trabalhar após descobrir que a rua era residencial e não comercial.  O erro de ter autorizado a construção foi de Alcídio Delapria, então prefeito do município.

Mas quem acabou pagando caro foi o lanterneiro que foi multado em cinco mil reais pela justiça, após ser denunciado por um dos vizinhos que ele não poderia trabalhar no local. O caso aconteceu em 2010 e até hoje Alexandro Ferreira, não conseguiu se recuperar da multa que teve que quitar para não ir preso.

Em 2015, o Ministério Publico foi acionado através de uma denuncia e Sérgio Borges dos Reis já era o prefeito. Com o pedido de informação, em oficio enviado ao chefe do executivo, o promotor Jose Lafaeti Barbosa Tourinho, informação se o barracão onde estava instalada a funilaria e se estava funcionando e se existia o alvará de funcionamento e se o local era permitido a pratica do comercio, o mesmo se a rua era exclusivamente residencial. 

No dia 19 de fevereiro de 2015 num despacho assinado por Vladimir Leite Souto, que ocupava a chefia de Vigilância Sanitária, após uma reclamação os seus comandados estiveram no local com a intenção de prejudicar Alexandro Ferreira. No documento disse que, o alvará só seria feito a emissão após a adequação da oficina. 

Mas como se adequar e passar por cima da legislação municipal e liberar um alvará de funcionamento, num local em que não é permitido? Se a rua onde estava localizada oficina é residencial até hoje.  Para tentar enganar, diziam que a rua, era mista, mas isso é só conversa.

Na verdade o que faltou para o então prefeito Alcídio Delapria, foi jogar limpo e com honestidade, quando recebeu o pedido de liberação para o alvará de construção, deveria ter dito não e explicado que no local não caberia nenhum tipo de comercio, por ser residencial ainda mais comercial.

Após a história ser publicada no Blog do Take, Alcídio Delapria tomou conhecimento e na oportunidade disse que iria procurar o lanterneiro para pedir desculpas, fato esse, que até o momento não aconteceu. Mas não se pronunciou sobre o texto que foi publicado.


Será que só um pedido de desculpas iria apagar todo o sofrimento, humilhação e o tempo perdido para atender ao pedido da justiça para responder sobre o fato de estar construindo e trabalhando numa rua residencial por conta de um alvará de construção emitido por Delapria ? Fala serio.

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Copyright © 2016 todos os direitos reservados a Desenvolvido por Jonas Gonçalves.