Gari nega autoria de carta

Vereador Luiz Gari, PP, negou a autoria da carta entregue ao
vereador Mário Verri.
O vereador Luizinho Gari (PP) negou a autoria da carta entregue ao vereador Mário que motivou a segunda Comissão Processante contra Gari. Investiga-se a possível quebra de decoro do parlamentar que foi casado com uma ex-assessora do deputado federal Enio Verri (PT), irmão de Mário Verri.

O chefe de gabinete de Gari, Rogério Mizael, afirmou à CP que somente entregou um envelope a Mário Verri e não acompanhou sua abertura. “Desconheço o conteúdo do envelope. Entrego documentos, recolho assinaturas e faço contatos por telefone todos os dias”, disse o assessor.
 Por sua vez, Mário Verri confirmou o recebimento da carta que citava Camila de Lima Tomazoti como ex-assessora fantasma de Enio Verri em tom ameaçador. “Quem escreveu queria me coagir. Digo que se houver qualquer denúncia contra meu irmão que ela seja feita aos órgãos responsáveis. Acredito que recebi esta carta, neste momento, justamente por exercer a função de presidente de outra CP contra Gari”, explicou o vereador.
 Todos os depoimentos foram dados à CP, ontem à tarde (6), na terceira reunião do grupo. Ela é composta pelos vereadores Luciano Brito (presidente), Humberto Henrique (relator) e Márcia Socreppa (membro) que também pretendem checar o andamento do inquérito instaurado na 9ª Subdivisão Policial de Maringá.
 A referida Comissão Processante foi aprovada pelo plenário da Câmara, no dia 05 de Maio, após solicitação formal do vereador Mário Verri (PT). O argumento deste é a existência de uma carta ameaçadora que recebeu em função de presidir outra CP contra Gari por denúncia de quebra de decoro. O documento também é motivo de inquérito policial e seu conteúdo já foi divulgado pela imprensa.
Assessoria de imprensa CMM – 07/06/2016

Compartilhar por Google Plus

About Agência de Noticia News

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.